quinta-feira, novembro 24, 2005

Construir um País

Olá,

Recebi um mail extraordinário que quero partilhar com todos vós. Muitos o devem ter recebido também mas o tema é tão actual e pertinente que ouso falar dele aqui. O assunto versa o que nos vem nos genes. A partir do momento em que nascemos são carregadas em nós determinadas predisposições às quais será impossível fugir a menos que alguma coisa aconteça.

Pelo que me apercebo, o tema é muito publicado na internet, tanto em blogs (http://blogsearch.google.com/blogsearch?hl=en&q=precisa-se+mat%C3%A9ria+prima+prado+coelho&btnG=Search+Blogs) como em páginas de internet. É só fazer uma pesquisa rápida e encontramos inúmeras páginas onde procurar (http://www.google.com/search?hl=pt-PT&q=Precisa-se+de+mat%C3%A9ria-prima+para+construir+um+Pa%C3%ADs&lr==).

A minha ideia, até porque o texto é muito popular em Portugal e no Brasil, é a de que esta coisa tem que ser genética e, à priori, já dura há séculos - como está presente nos dois países, só pode ter ido daqui para o Brasil.

É assim, desejo uma leitura atenta ao texto - basta escolher um dos links que deixei e depois seleccionar qualquer link posterior que vos dará acesso ao texto - e seguir o conselho que lá é dado... meditar !

Cumprimentos

segunda-feira, novembro 07, 2005

Análise às Autárquicas III - A Câmara Municipal

Olá,

Não, ainda não foi desta que me calaram! :)
A razão pela qual não escrevi mais desde o dia 13 de Outubro é meramente pessoal. Tenho tido a minha vida ocupada e os pensamentos nem sempre fluem no melhor sentido. Paciência!!
Desculpem-me a falta de actualidade do tema, mas não querendo ficar em falta com ninguém, aí está a terceira e ultima parte da análise às eleições autárquicas - a Câmara Municipal.
Tentarei dar o meu melhor, uma vez que já se passou algum tempo e alguns dos promenores do "caso" já se me esvaneceram da cabeça.


Câmara Municipal

Sem dúvida, o Dr. Manuel Soares ganhou de novo, e ganhou sem a mínima margem para dúvida com maioria absoluta - 50,36% Apesar disso, consegue apenas eleger os mesmos vereadores que em 2001 - 4. O PSD chegou aos 39%, elegendo 3 vereadores e fechando a contagem no que respeita a mandatos. Os restantes votos são desprezíveis, uma vez que nem por sombras chegariam perto de eleger um vereador - como era de esperar. Aqui, e uma vez mais, destaco (pela negativa) o fenómeno do ocaso CDS-PP. A juntar à incapacidade de formar uma lista com gente da terra, lá foram buscar um candidato, com sotaque nortenho, que veio em missão diplomática mas que nem chegou a aquecer a goela. O desprezo que os dirigentes do CDS de Sever tiveram pela sua terra é imperdoável - e isso viu-se bem nas votações. Quanto ao PCP e com todo o respeito - tá na altura de pedirem a reforma e está tudo dito.

PS
O PS sai duplamente vencedor destas eleições. Não só elege uma vez mais o Manuel Soares como Presidente, mantendo a maioria absoluta e os 3 vereadores, como consegue afastar do seu seio alguns dos seus membros mais descontentes com o rumo das coisas. Para quem ainda tinha dúvidas, a estratégia do Dr. Manuel Soares saiu-lhe na perfeição. E, cá para mim, a chatisse das comadres ainda não fica por aqui...
Mas nem tudo foram rosas do lado do PS. Perde 7% em relação às últimas autárquicas. Exactamente nos quatro anos em que fez mais pelo concelho - estou-me a lembrar do cinema, da piolhosa (nunca mais mudam o nome áquilo) e da futura biblioteca - os munícipes penalizam-no com menos 7% e no centro perde em toda a linha... será que o povo está a ficar farto das promessas? ou será que se distraíram? Cá para mim, faltou fazer a ronda às capelinhas todas, uma vez que o número de votantes diminuiu e como vaticinei aqui, a vitória do PS estaria apenas dependente do número de votantes... é que "dos outros", foi toda a gente votar! Apesar da perda, tudo vai bem lá prós lados do Dr. Manuel Soares.
A nível de mandatos, fica eleito o Dr. Manuel Soares, O Prof. Coutinho, o construtor Martins Pereira e o Raul Duarte.

PSD
Derrotado? Vencedor? Há quem diga que a análise ao PSD não é fácil. Arregacemos as mangas e peguemos na calculadora e ver o que dá.
Conseguiu a mesma votação que há 4 anos, em nº de votos e em mandatos, mas desta vez concorreu sozinho - deste ponto de vista, é uma vitória. No entanto, a nível político-partidário elege o candidato principal PSD - o Dr. João Miguel Almeida - escolhido de uma forma muito pouco democrática (sim... eu estava lá), o Engº António Rodrigues, conotado com o PS, e o mal-amado do PSD por tantas infidelidades e divórcios, Alberto Gonçalves (ou Beto prós amigos). Esta mistura de credos não deverá resultar e antevenho muita confusão nos próximos quatro anos - esperemos que não, a bem do nosso município. Portanto soma-se uma derrota. 1-1 nos cálculos.
Não me lembro de ver, nos últimos 16 anos, tanto dinheiro gasto em campanha pelo PSD. Ele é outdoors e panfletos, ele é cartazes com a cara de cada candidato, por freguesia; ele é festas e romarias... longe de perguntar de onde veio tanta "massa", prefiro remeter-me ao silêncio e acreditar que alguém decidiu apostar desta vez forte. Mais um ponto para as vitórias do PSD. Estão de parabéns pela capacidade de influência e de motivação que impuseram aos seus "benfeitores". No reverso da medalha, tanto dinheiro gasto para quê ? Não conseguiram convencer as pessoas a mudar o sentido de voto. Se desta vez não foi o dinheiro, o que terá falhado então? Terão sido as estratégias de campanha as correctas? Será que andaram a gastar tanto dinheiro naqueles outdoors (alguns horríveis, diga-se de passagem e pergunto-me eu... com a máquina do partido disponível para fazer cartazes - pelo menos fizeram-nos para todo o lado - será que houve algum engraçadinho da equipa do PSD que achou que conseguia idealizar uns cartazes melhores que os conseguidos por profissionais de uma empresa de marketing especializada no mercado da publicidade política? anda Deus a dar nozes a quem não tem dentes...) e nos panfletos e esqueceram-se que era preciso ir bater à porta de toda a gente a mostrar às pessoas quem eram os candidatos? E os candidatos às Juntas, fizeram o trabalho que lhes competia? Não, claro que não... e esta é que foi a grande derrota do PSD. Esta vale por muitos, uma vez que é fundamental para qualquer candidato com o mínimo de aspirações ser, pelo menos, um pouco conhecido...
A somar a estas tristezas, reparo num numero curioso - 25 - foi quanto conseguiu o PS a mais, em percentagem, na votação na única terra que conhecia o candidato do PSD e onde ele reside - Silva Escura... só isto dá que pensar, não dá ?


Posto isto, acho que nem é preciso usar a máquina de calcular... afinal, vencedor só há um... e esse foi o PS! Parabéns Dr. Manuel Soares!

Cumprimentos.

quinta-feira, outubro 13, 2005

Análise às Autárquicas II - A Assembleia Municipal

Olá de novo !


Assembleia Municipal

Nesta segunda parte vou analisar os resultados dos vários partidos concorrentes à Assembleia Municipal. Antes de tudo, devo assinalar, para futura referência, as competências mais importantes da Assembleia Municipal consagradas pelo decreto-lei 169/99, de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela lei nº 5-A/2002, de 11 de Janeiro, artigo 53º (http://www.diramb.gov.pt/data/basedoc/TXT_LN_22114_2_0001.htm):

- Acompanhar e fiscalizar a actividade da Câmara Municipal;
- Solicitar e receber informações sobre assuntos de interesse para a Autarquia;
- Deliberar sobre a constituição de delegações, comissões ou grupos de trabalho para estudo dos problemas relacionados com os interesses próprios da autarquia no âmbito das suas atribuições;
- Tomar posição perante os órgãos do poder central sobre assuntos do interesse da Autarquia;
- Pronunciar-se e deliberar sobre assuntos que visem a prossecução dos interesses próprios da Autarquia;
- Votar moções de censura à Câmara Municipal a fim de permitir a formação e a divulgação de juízos negativos e reprovativos da acção da Câmara Municipal;
Sob proposta da Câmara Municipal:
- Aprovar posturas, regulamentos, orçamentos, planos de actividades, balanço e contas de gerência;
- Aprovar empréstimos, quadros de pessoal dos diferentes serviços do município, regime jurídico e remunerações;
- Autorizar a Câmara Municipal a adquirir, alienar ou onerar bens imóveis;
- Estabelecer taxas municipais e deliberar quanto a derramas, com vista à obtenção de fundos urgentes.

Feita esta introdução, que me parece pertinente, vamos aos números e factos.

Olhando para os números finais, o PS sai vencedor, uma vez mais, com a maioria dos deputados. No entanto, em comparação com as ultimas eleições, o PS perde um deputado. A Oposição sai ligeiramente reforçada com mais um deputado. A Assembleia ficará com 11 deputados eleitos pelo PS, 9 pelo PSD e 1 pelo CDS-PP.

CDU
Sobre a candidatura do CDU pouco ou nada há a dizer... as mesmas caras, as mesmas ideias, os mesmos intervenientes... o mesmo contributo que desde o 25 de Abril têm dado a Sever - nenhum! Daqui a 4 anos, o ciclo inútil repete-se... e cá estaremos de novo para ver mais duzentas e poucas pessoas enganarem-se nos boletins e votarem na foice e no martelo... ou será que são os ambientalistas de Sever? Em todo o caso, a inutilidade do voto na CDU é mais que uma realidade - é uma certeza!

CDS-PP
Quero destacar o facto da quantidade de ilustres desconhecidos que surgiram como candidatos na lista do CDS-PP. Longe de pronunciar uma vírgula sequer sobre a qualidade dos mesmos, acho que é minha obrigação emitir uma opinião sobre o "fenómeno"... anda muita gente a brincar à política em Portugal!!. Espero que, pelo menos, estas pessoas que deram o nome para formarem esta lista, tenham em mente, um dia, fazer uma visita a esta terra - a terra por onde, um dia, concorreram para órgãos autárquicos. Este logro que o CDS-PP nos impingiu este ano só representou um desperdício de votos e uma tremenda falta de respeito pelas suas "bases". É saudável que este tipo de exemplos não se repita, para bem dos munícipes e da seriedade.
Apesar de terem ganho 1 deputado ao PS, sendo essa a única "façanha" digna de registo, perdem lugares na Assembleia, uma vez que há 4 anos concorreram em coligação e colocaram uns 2 ou 3 do partido (confesso que não me recordo). A agravar esta questão está a dificuldade que tenho em descortinar um candidato a deputado pelas listas do PP que seja de Sever, fico com a sensação que este 20º deputado eleito nem sequer vá comparecer nas reuniões da Assembleia - a ver vamos!

PSD
O PSD tomou a iniciativa de concorrer este ano à Assembleia Municipal com um figurino completamente novo. Deram a cada candidato de Junta a oportunidade de escolher 3 candidatos para a Assembleia Municipal. É claro que o veto necessário não foi sequer tido em conta por parte da Comissão Política. Não interessou se eram pessoas "da máquina", se eram independentes, se eram da freguesia ou não, se eram conhecidos ou não... bastava que tivessem sido escolhidos pelo candidato à Junta. Se ninguém acha isto mal, eu acho péssimo. Não me agrada nada que, para cargos de responsabilidade municipal como é o caso, surjam pessoas que não tenham um sentido político, não tenham um fio de ligação e cujas capacidades técnicas de análise deixem a desejar. Na altura das votações a coisa iria dar para o torto. Desta vez o PSD teve "sorte" - a Assembleia é maioritariamente PS, logo não tem que se preocupar com as votações.

A péssima escolha do cabeça de lista foi outro factor determinante para o insucesso da campanha - a começar pelo nome! Várias foram as pessoas que até mim vieram pedir explicações de como terá sido possível o Sr. Severo se candidatar novamente... obviamente que esclareci essas pessoas em relação a este Severo, mas imagino o que se terá falado por aí nas tascas e arredores sobre o candidato... Como é conhecidíssimo em Sever, a somar à sua carreira muito modesta, o candidato - Dr. Severo - não goza de grande fama à excepção de Paradela e alguns lugares de Pessegueiro.

O final e derradeiro "tiro no pé", veio de uma opção curiosa: o PS abandona um dos seus históricos - sabe-se lá porquê - e ele é contratado pelo adversário. Como o PSD de Sever não é o FC Porto de Pinto da Costa, a coisa tinha que dar pró torto... então não é que o homem não serve para o PS e serve para o PSD??? Nem os irmãos de sangue o querem nas suas fileiras e o PSD assina com ele? Será que ninguém percebeu que ele nunca deu votos ao PS - por muito mérito que tenha nas suas acções na Assembleia e nas colectividades - logo, nunca iria dar votos ao PSD ? Como pedir às bases do PSD que votem naquele que foi o "inimigo público" nº1 durante 20 anos? Essa, eu nunca percebi.

O único ponto positivo que retiro é que o PSD apresentou uma candidatura sozinho. Por este facto, o eleitorado premiou-o com mais votos. Certo que esta estratégia seria boa se os candidatos pertencessem à máquina partidária - teriam "eliminado" os elementos do CDS-PP sem terem perdido posições na Assembleia e teriam agora 9 deputados laranja. Nesta altura, se retirarmos os candidatos ditos independentes, o PSD fica com 4 ou 5 (não posso precisar) laranjas na assembleia - muito pouco. Acho que o PSD deveria agora convencer os deputados eleitos a filiarem-se. Seria uma atitude correctíssima e que em nada beliscava com a suposta independência dos candidatos… até porque já estão conotados com o partido, mais vale filiarem-se.

PS
Tudo vai de vento em popa para o PS. Com a maioria dos deputados - fieis - na Assembleia não têm que se preocupar muito com as aprovações que o seu executivo trouxer. É certo que perdeu 3,5% e, consequentemente, um deputado, mas manteve a maioria absoluta e isso é o que conta.
O cabeça de lista é sobejamente conhecido na praça. O resto da lista é constituída por elementos históricos do PS. Gente de muito trabalho no campo, habituados a esta e outras políticas, sabedores daquilo que o povo quer e gosta. Conhecendo eu algumas das "feras", vejo muito pouca gente na oposição capaz de as "domar". Prevejo 4 anos de muita tranquilidade nas hostes socialistas.


Por Freguesias
Para fechar este tema, queria apenas dar uma olhada pela votação para a Assembleia Municipal, por freguesia.
O PSD ganha bem em Paradela e à rasca (67 votos) em Sever. Na primeira o PSD consolida e aumenta a sua vantagem (provavelmente efeitos de concorrer sozinho) e na segunda o panorama foi idêntico: em 2001, o PS ganhou por 7 votos. Este ano o PS vê 6% do seu eleitorado na principal freguesia do Concelho mudar de direcção de voto. Apesar disso, O PSD consegue menos votos, mas em termos absolutos fica muito próximo dos valores de há 4 anos, perdendo apenas 1%. Se tivermos em conta a subida de pouco mais de 1% nos votos em branco - indicador da falta de referências e elementos identificadores por parte do eleitorado - os restantes 6% (os do PS) "perderam-se" nos votos do CDS-PP.
Nas restantes freguesias, o PS volta a ganhar. Em Cedrim, Couto e Pessegueiro foi à tangente, mas em freguesias como Talhadas (13 pts), Rocas (19 pts), Silva Escura (24 pts) e a inevitável Dornelas (53 pts) a vitória foi esmagadora.

Na minha opinião, o trabalho da eleição dos órgãos da Assembleia, tem muito que ver com o trabalho desenvolvido pelos candidatos a Presidente de Junta - são eles que têm que convencer o eleitorado a votar neles e nos candidatos a deputados para a Assembleia Municipal. Por tudo isso, é que a estratégia do PSD para a Assembleia Municipal falhou redondamente. Fica assim provado que as três pessoas escolhidas pelos candidatos a Presidente de Junta não foram as correctas - paciência, daqui a 4 anos há mais !

Cumprimentos

terça-feira, outubro 11, 2005

Análise às Autárquicas I - As Juntas

Olá de novo!

Deverão ter reparado que fiz uma pausa no blog durante este último mês... Porquê? - Muito simples: o aproximar das eleições autárquicas obrigou-me a este período de ausência. Fi-lo na expectativa de que as minhas opiniões não fossem influenciar o voto de ninguém. Nada melhor que observar os candidatos a esforçarem-se...


As Eleições

Antes de tudo, uma saudação a todos os novos eleitos - Presidente e Vereadores da Câmara Municipal, Deputados da Assembleia Municipal, Presidentes e Deputados das Assembleias de Freguesia - a todos eles os meus parabéns! Todos se esforçaram com muito empenho nestas autárquicas e a prova disso está nos números da abstenção - num país onde 39% da população não votou, Sever ficou-se pelos 27% - o 3º melhor registo do Distrito. Já agora quero acrescentar que em Sever há mais 140 eleitores que há 4 anos, colocando o número de eleitores inscritos em 11.494.

Estas eleições marcam um momento importante na vida de Sever do Vouga. O ocaso e consequente desaparecimento do CDS-PP local. Tradicionalmente, Sever é centro-direita. O mesmo será dizer que o voto anda disperso entre o PSD (maioritário) e o CDS-PP. Nesta altura, e penso que definitivamente, o CDS deixa de ser um player nas eleições. O mesmo acontecerá com o PSD se não se renovar, mas falarei sobre isso mais tarde.


As Juntas

Vou começar esta análise pelas Juntas de Freguesia. Em relação a estas, quero ressalvar um ponto que me parece ser importante na análise. O PS não apresentou candidaturas próprias às freguesias. Optou por apoiar e patrocinar Grupos de Cidadãos que se apresentaram como independentes. Para mim, isto significa que o PS continua a não ter gente suficiente para apresentar candidaturas próprias e, na verdade e a analisar as listas que surgiram, fico com a terrível sensação que muitos dos candidatos foram-no - não porque não acreditam nas alternativas (até porque alguns têm cartão de militante do PSD) - mas porque se sentiram de certa forma "obrigados" a pagar uma dívida - de gratidão talvez - isto porque a maior parte das listas "independentes" de cidadãos são constituídas por funcionários da Câmara de Sever - como me confidenciou um deles - "custa, mas tem que ser!"

Cedrim
Como era de esperar, o Grupo de Cidadãos "limpou" estas eleições, uma vez mais, deixando a concorrência a 18 pontos de distância. O Edgar Jorge deve estar felicíssimo, uma vez que vê o seu trabalho legitimado e dá uma lição de humildade àqueles que o expulsaram do partido que ele sempre amou e respeitou - quem sabe Edgar, se daqui a 4 anos não terás esquecido o PND e estarás de volta às tuas raízes?

Couto de Esteves
O PSD no Couto volta a ganhar, desta vez sozinho, elegendo o Claudino Soares para a Junta. A diferença de 7,8% representa um claro cartão amarelo ao partido e deverá pôr algumas pessoas a pensar se a política que estão a seguir é a correcta e, não tenho dúvidas que o Couto de Esteves irá ver muito mais trabalho neste mandato que no anterior.

Dornelas
Muito pouco há a dizer sobre Dornelas. A Junta tem beneficiado - e muito - por ser a terra natal do Presidente Manuel Soares, pelo que é perfeitamente natural que o Harolde Balaias vença com uma margem de 50 pontos, captando os 72% dos votos disponíveis. Diria que esta freguesia é a única no concelho que nestes 16 anos viu alguma mudança significativa.

Paradela
O PSD conseguiu repetir a vitória de há 4 anos. Mais quatro anos de mandato para um incansável Presidente de Junta que muito faz pela (pequena) freguesia contra tudo e contra todos. Apesar de tudo, estas eleições não foram fáceis. E apesar da diferença de quase 17%, os adversários tudo fizeram para denegrir e achincalhar o Presidente Rui por todo o lado. Resta-nos desejar que daqui a 4 anos os actuais adversários mostrem mais elevação nas suas intervenções e discursos. É uma pena que a energia contagiante do Rui Rocha não tivesse passado para muitos dos seus companheiros candidatos que muito precisariam para levar as suas embarcações a bom porto.

Pessegueiro do Vouga
As mais renhidas eleições de Junta que até agora me lembro. 11 Votos separaram as duas candidaturas, com vantagem para a independente. O PSD perde a segunda Junta mais importante do concelho e as explicações para esse facto são mais que muitas. Apesar do candidato que se apresentou ser da "linha dura" do partido, a bondade, a elevação no discurso e as boas ideias que o Fernando Pereira apresentou não foram suficientes para fazer as pessoas se esquecerem do deserto de ideias e da inépcia miserável que marcou o executivo anterior (CDS/PSD). Por isso mesmo, as pessoas mostraram o cartão vermelho ao PSD e fizeram eleger o João Henriques.

Rocas do Vouga

Para o PSD, a reeleição do Acácio Barbosa estava no papo. Com os quase 60% ganhos nas últimas, pouco trabalho de campanha foi desenvolvido (a taxa de abstenção foi a maior do concelho) e a Lista de Independentes aproveitou para levar a sua política a todo o lado conquistando a simpatia dos eleitores. 51 Votos separaram estas duas candidaturas, representando 4 pontos de diferença. Mais uma Junta perdida pelo PSD.

Sever do Vouga
De nada valeu à lista de independentes estar o dia todo à porta das mesas de voto. De nada lhes valeu a presença ilegal do Presidente de Junta anterior dentro (no momento em que fui votar ele estava lá, junto à mesa de conferência) e fora das instalações das mesas de voto, numa clara tentativa de "coagir" o eleitorado a votar nele ou naqueles que ele representa. O candidato apresentado pelo PSD era, de facto, imbatível. O Zé Loureiro merece, mais do que qualquer um, o reconhecimento de vitória. Ganhou a Junta de uma forma inegável com maioria absoluta e com a maior margem do PSD para o adversário - 18 pontos.

Silva Escura
Na terra do nº 2 da lista PS à Câmara Municipal, ninguém deixou a coisa por menos - 41 pontos de diferença entre a candidatura do Fernando Oliveira e a do PSD. Depois da banhada que foi há 4 anos, ninguém no PSD percebeu que o candidato que apresentaram não traria votos - antes pelo contrário. As pessoas de Silva Escura já perceberam que o tempo já passou há muito para muita gente e o candidato do PSD não é excepção.

Talhadas
O António Ferreira volta a ganhar e, apesar da margem não ser grande (9 pontos) é suficiente para a maioria e para o PSD ver a sua liderança reforçada nesta freguesia, uma vez que em 2001 concorreu em coligação. A verdade é que os eleitores de Talhadas já há muito se habituaram a ver obra feita pelo Ferreira, apesar da cor política do Executivo Camarário ser diferente. Este histórico do PSD local merecia melhores (e maiores) voos. Talvez esteja agora na altura de pegar "o boi pelos cornos".

Na contabilidade final, o PSD sai claramente derrotado nas eleições para as Juntas de Freguesia. Perde a Junta de Rocas do Vouga e de Pessegueiro (2ª e 3ª maiores do concelho), no entanto recupera a de Sever. Contas finais, das 9 juntas, 5 são geridas por independentes ligados ao PS, e 4 ficam nas mãos do PSD. Ou seja, 57% da população será representada pelo PS. O primeiro objectivo do PSD não foi atingido.

Cumprimentos

quarta-feira, agosto 31, 2005

A Política das Tascas

Esta forma de fazer política está presente em todos os concelhos medíocres do país geralmente conotados com o desemprego, a marginalidade, a acção social esquecida, a desertificação, o envelhecimento e consequentemente o esquecimento. O local de encontro, geralmente, é o café da esquina, vulgo tasca, onde grande parte dos homens se encontram. No caso de povoações maiores, em vez de haver uma tasca há várias, repartidas por todas as esquinas de todas as freguesias. Geralmente, nessas povoações, os homens que se juntam nas tascas são os idosos - para a jogatina diária da sueca ou das damas, passando assim o tempo - os adolescentes - que gostam de ir lá tomar um copinho com os "cotas" ao fim-de-semana - e os marginais - geralmente com problemas associados à dependência do álcool e cuja família passa sempre um mau bocado quando o fulano chega a casa.

Esta "política" baseia-se na visita incessante a essas tascas em que a discussão ronda o absurdo. Não se trocam ideias, não se discutem políticas estruturantes, apenas se faz o que a política tem de pior - o mal-dizer, a má língua e o achincalhamento. Ora, segundo Gustave Le Bon, no seu clássico "Política de Massas", esta é a forma mais antiga e mais primitiva de fazer política. Ao mesmo tempo é também a que melhores resultados trás. A fórmula é simples: pega-se nos podres dos adversários e espalha-se junto das pessoas com mais baixa reputação da sociedade, por forma a que se espalhe por toda a sociedade, dando forma e cor ao que de mais baixo tem a sociedade - a inveja. A isto, junte-se uma boa dose inventiva e temos o círculo fechado.

Tudo isto se passa em Sever. É a forma que todos usam para fazer aquilo que eles chamam de "política". Por alguma razão, estamos há 16 anos sem que ninguém apresente uma estratégia política séria para Sever que pense no futuro. Estão todos preocupados em dizer mal uns dos outros e, para cúmulo, admitem mesmo adoptarem essa via.
Por estes dias em Sever - e até às eleições - quem quiser encontrar os candidatos a alguma coisa, só tem que procurar nas tascas. Longe vão os tempos em que havia a preocupação de fazer comícios e festas para o povo, trazendo as figuras ilustres dos partidos para dar credibilidade aos candidatos quando era necessário e apresentando as ideias que cada equipa tinha para enfrentar o futuro...

Cumprimentos.

quarta-feira, agosto 24, 2005

Candidatos à Câmara Municipal

Olá,

Esta semana tinha que vir com este tema. As listas estão entregues e surpresas não faltam. Vou falar um pouco sobre as candidaturas que o PP, PSD e PS apresentaram para concorrer à Câmara Municipal de Sever do Vouga.

PP
Este ano o PP não vai coligado. Nem com o PSD nem com o PS. Na minha opinião não vai coligado sequer com Sever. Pelo que ouvi dizer, têm uma lista que foi feita em cima do joelho (parece que alguém se esqueceu do trabalho de casa) e a verdade é que no site do PP ela nem aparece. Ao que se diz, o Partido em Lisboa meteu a mão na candidatura severense e engendrou alguns candidatos. A confirmar-se, o sucesso desta candidatura depende em parte do povo querer eleger alguém que não sabe sequer onde fica Sever do Vouga no mapa. Mas isto é tudo diz-que-disse. Assim que tiver novidades, trago-as para cá.

PSD
O PSD apresenta-se com caras novas. Quase todas. O candidato a Presidente chama-se João Almeida. Uma vez mais, o PSD apoia um candidato que não é "filho da terra". Da ultima vez era um médico com trabalho feito por e para Sever no Centro de Saúde, desta vez temos um Doutor das Finanças com trabalho desenvolvido em prol da cobrança de Impostos. É certo que era o trabalho dele - honesto de certeza - mas não sei até que ponto é que a opinião pública se sentirá confortável com um candidato que representa uma instituição que toda a gente tem tão má opinião.
O resto da lista tem nomes mais ou menos conhecidos dos quais posso destacar o Engº Rodrigues da Lacticoop e a Drª Isabel Tavares (muitos de nós se lembram bem dela da Escola Secundária), que inclusivé já foi vereadora de câmaras lideradas pelo Dr. Soares.
O PSD na apresentação da cadidatura aos militantes veio dizer que desta vez queriam pessoas que nada tivessem que ver com o passado, ou seja, pessoas sem currículo dentro do partido. Uma coisa é certa, podiam ter usado outra estratégia: em vez de apresentar uma candidatura com gente que nada tem a ver com o partido, tinham apresentado esta lista como independente, apoiando-a, alegando uma falta de quadros capazes disponívels e, assim, livrando-se de serem "chamados à pedra" por Lisboa (e também pela concelhia) para explicar o porquê de não haver pessoas da "máquina" nas listas...
O sucesso desta candidatura vai depender em muito da capacidade em demonstrar a seriedade e competência do candidato, uma vez que em relação ao resto da equipa, a capacidade técnica que apresentam é inquestionávelmente superior à da do PS, que uma vez mais, se apresenta com mais-do-mesmo, ou seja, tecnicamente, zeros à esquerda. É verdade que os candidatos vão ter que suar muito. Ver, aparecer, estar e falar vão ser os elementos chave para quem quer ter reconhecimento. Para mim já deviam ter começado há muito...

PS
O PS vai apresentar mais do mesmo. Depois de ter encostado quem lhe era incómodo, o Dr. Soares tem ao seu dispôr a sua "Dream Team" - a começar por ele próprio. Recém promovido a braço direito e primeiro na linha de sucessão do cargo de Presidente (sim, é desta que acontece e já toda a gente sabe) está o vereador António Coutinho. Seguidamente surge-nos o também vereador Raul Duarte que, aparte de se saber que faz parte da Câmara e que não falta às reuniões do executivo, outras obras, feitos ou ditos não se lhe conhecem (afinal ele era vereador de quê ???). Como não poderia deixar de faltar, o construtor-cacique Martins Pereira (cada vez mais a fazer lembrar a "velha raposa" que quase obrigava por contracto os seus empregados a votar nele) é o próximo na lista... and so on... and so on...
Esta candidatura faz-de-conta, apresenta-nos, uma vez mais, um relatório de promessas não cumpridas mas que vão ser cumpridas, uma capacidade técnica e de trabalho fora do vulgar (é até se chatearem uns com os outros, como foi no passado e é no presente) e uma política a pensar no futuro... não... não me refiro ao das pessoas que vivem e trabalham em Sever, mas ao futuro do umbigo daqueles que se candidatam. "SEVER PARADA" penso que vai ser o slogan que vão adoptar na campanha a fazer jus áquilo que têm feito nestes últimos 16 anos, ou seja, quase nada ou muito pouco !
O sucesso desta candidatura vai passar pelo numero de eleitores que forem votar. Quantos mais forem, mais vereadores metem. Isto porque o povo quer é copos e festa... e nisso... ninguém bate estes senhores !!

Cumprimentos.

terça-feira, agosto 16, 2005

Quinta do Barco ou o projecto "made by Soares"

Olá,

2ª feira, 15 de Agosto, Feriado Nacional. Estou de fim-de-semana prolongado e saio de casa e compro o jornal de sempre - o Público. No interior, uma notícia sobre as praias de má qualidade no país. Como sempre, Sever do Vouga lá aparece uma vez mais por uma notícia triste - a praia da Quinta do Barco é de má qualidade... Não estamos a falar da água, mas da praia em si e da sua envolvência...

Ora... se para alguns esta notícia possa ser novidade, para outros mais informados, não é senão a "cereja no topo do bolo" e corolário daquilo que foi e é a actuação Camarária em 16 anos de poder.

Uma das poucas obras que este executivo idealizou, projectou e concretizou (e que tem o tempo necessário para podermos tecer considerações) é também a que está mais abandonada, esquecida e mal tratada.

A Quinta do Barco - cartão de visita de Sever do Vouga - está agora perdida. Para sempre ? Talvez. Coincidência ou não, a maioria dos frequentadores da Quinta do Barco nem sequer é de Sever (por alguma razão será) e uma coisa é certa, depois desta notícia publicada em todos os jornais diários e em todos os serviços noticiosos de TV e de rádio, a coisa, certamente, vai piorar.

Este assunto tráz-me para uma outra discussão que, a meu ver, deveria ser a mais importante. Deverá Sever do Vouga ser um concelho virado para o Turismo ou para a Indústria ? A meio destes 16 anos de mandato, o Presidente achava que a indústria não era precisa em Sever e que o concelho viveria muito bem sem ela e com o turismo. Depois muda de ideia e cria zonas industriais em todo o lado para instalação de empresas de pequena dimensão, criando aberrações visuais e de planeamento como a Zona industrial de Carrazedo onde nem um camião TIR lá chega.

Estas mudanças só comprovam que os senhores que lá estão nem sequer têm uma ideia do que querem para o concelho. Ao mesmo tempo que criam as coisas, abandonam-nas.

Os contratos de exploração tanto da Quinta do Barco como da Piolhosa (nunca mais mudam o nome áquilo - eu voto em Parque Manuel Soares) obrigam a que certos trabalhos sejam executados, como limpeza, conservação e manutenção. Aliás, foram esses trabalhos que fizeram com que outros concessionários desistissem de apresentar candidaturas e a Câmara a baixar as rendas para valores completamente estúpidos.

Pergunto eu, o que fazem os jardineiros da Câmara e quantos são ? Quem manda neles ? Porque razão é que deverão ser terceiros a tratar dos espaços verdes públicos. Já alguém parou para pensar na área envolvida, tanto na Quinta do Barco como na Piolhosa ? Os custos que isso acarreta para qualquer concessão ? Acham mesmo que estas concessões se vão chatear com a manutenção dos espaços tendo em conta esses custos ? Eu acho, melhor, tenho a certeza que não. Não o fizeram até aqui e não o vão fazer concerteza de futuro (já estou a ver a Piolhosa com relva, melhor, erva de 1 mt de altura).

Como já aqui referi algumas vezes, esta é uma excelente altura para exigirmos que os senhores que nos governam há 16 anos ininterruptamente prestem contas. São eles os principais responsáveis por estes incidentes. São eles que têm que zelar pelo cumprimento dos contratos que adjudicam ou concessionam. Da mesma forma que são eles que têm que fiscalizar e intervir quando algo esté mal. É para isso que servem !

Uma vez mais, o meu inbox ficou repleto de mensagens de email a alertar-me para mais uma péssima notícia de Sever. Sim, porque apesar de tudo, eu ainda sou dos que convidam os amigos a ir passar uns dias à terrinha. Com muita vergonha os recebo e concerteza não serei o único !

Cumprimentos.

segunda-feira, agosto 08, 2005

Barragem de Ribeiradio... Será desta ?

Olá

Tive a oportunidade de passar os olhos pelo site do "Moliceiro" http://www.moliceiro.com/ , e dar-me de caras com uma notícia sobre a barragem de Ribeiradio - http://www.moliceiro.com/sever_do_vouga/artigo/5435. Certo é que esta "notícia" já não é nova... no dia 26/7, a SIC na sua versão online fazia destaque: http://sic.sapo.pt/online/noticias/pais/regional/Em+Oliveira+de+Frades.htm . O curioso é que o "Moliceiro", que é um jornal diário, demorou 13 dias para informar os seus leitores... vá-se lá entender porquê...

Este ano, a coisa surge numa altura crucial de caça ao voto. Cabe aos Executivos em funções "dar o litro" para captar a simpatia e o voto dos seus eleitores. O Presidente da Câmara de Oliveira de Frades (PSD) demonstrou um dinamismo inquestionável ao publicar a "sua" notícia num orgão de informação nacional e, desta forma, pressionar o Engº Sócrates a dar seguimento a uma obra que ele próprio lançou em 2001. O homem diz não ter dúvidas que a Barragem faz parte dos investimentos peioritários, sem, no entanto, ter visto uma única listagem desses ditos investimentos. Apesar de contraditório, o Presidente de O. Frades mostra aqui uma forma de exercer pressão sobre o Governo Central. É assim que se faz !

Ora, provavelmente ainda meio combalido do "sucesso" da Ficavouga, o nosso Presidente não quis ficar atrás e veio, em jeito de "epáh, quase que me esquecia disto", dizer umas palavrinhas para um jornal regional que ninguém lê (pelo menos na nossa bela terra), que tão oportunamente o entrevistou. Esta atitude de andar a reboque, para quem está a "exercer" há tanto tempo, fica muito mal. Ainda bem que, de quando em vez, aparecem uns Presidentes de Câmara vizinhos que se vão lembrando das coisas e actualizando a agenda ao nosso Executivo !

Tenho dito.

quarta-feira, agosto 03, 2005

Mais do mesmo...

Eu fico simplesmente abismado com o que se passa em Sever. A propósito da Ficavouga lembrei-me de mais uma coisa. Eu achei uma boa ideia a de dar uma vertente mais gastronómica à Fica. Isto a julgar pelas palavras do Vereador António Coutinho que em entrevista ao Moliceiro (http://www.moliceiro.com/sever_do_vouga/artigo/5268) afirma querer que a feira tenha um maior pendor gastronómico.

Mas aqui surge uma discussão que eu acho que deve ser tomada em conta por esses seres de sapiência superior. Alguém reparou em algum restaurante de Sever a servir algum prato típico ? A resposta é um redondo NÃO ! Havia frango de churrasco, comida brasileira, comida da galiza e leitão à bairrada... onde estava a vitela à moda de Sever ou a lampreia à bordalesa ? Não havia... pois é... a Câmara Municipal (e muito bem a meu ver) cria semanas durante o ano, é a semana da lampreia, é a semana da vitela, gasta rios de dinheiro na sua promoção e esquece-se de celebrar protocolos com os restaurantes - que são os únicos beneficiários - e "obrigá-los" a cumprir a sua parte na Ficavouga. Será que é tão difícil assim ?

Pergunto eu, qual é a piada de comer comida vinda directamente da Galiza, sem ter o prazer de disfrutar dos outros prazeres que a região galega oferece ? Quem já foi a Vigo (acaba por ficar mais perto que Lisboa) ou à Corunha sabe do que falo... É certo que não é errado ter cá comidas de fora para as nossas gentes apreciarem... mas que raio... a Ficavouga sempre foi uma mostra das potencialidades do concelho e não das potencialidades dos outros... Por isso é que nunca iremos a lado nenhum... mas o que é visível é a incompetência de quem deveria saber negociar (se nem com meia-dúzia de restaurantes da terra conseguem negociar, como o poderão fazer com o poder central) até porque andam nisto há quase 20 anos...

Um abraço !

segunda-feira, agosto 01, 2005

E agora... algo completamente diferente...

Mas que raio... acordo com a sensação de que a semana passou num instante... continuo com uma pequena náusea... Aconchegadinha no nosso cantinho à beira-vouga "plantado", lá vai a nossa terrinha vivendo aquilo que tem de melhor todos os anos: a Ficavouga !

Este ano, os números apontam para um custo de 90.000 euros que não foram, nem de longe nem de perto, aproveitados pelos severenses. O que se terá passado ?
Com um cartaz que, à partida, conseguiria rivalizar com muitas queimas das fitas deste ano (crise ? qual crise ??) - Quim Barreiros, Jorge Palma, Da Weasel e "os do costume", fiquei com a ideia de que a adesão do público severense foi má - muito má diria eu!
Claro que quem apostou num Quim Barreiros à quarta-feira não pode esperar enchentes... o Jorge Palma numa sexta é adequado, mas acho-o demasiado urbano para uma terra como a nossa. A verdade é que ele não surpreendeu ninguém com aquela péssima prestação em palco a fazer lembrar os velhos tempos de bebedeira e droga (a imagem da Fica deste ano ????) Os Da Weasel, que estão em todas, foram a aposta - perdida na minha opinião - para a noite de sábado. Acho que essa noite é a noite especial e não tinha custado nada ter posto os artistas a começarem mais tarde (lá prás 11 da noite) até porque quem decide estas coisas devia ter percebido que estava perante um grupo para as gerações mais novas e a "malta jovem" só se diverte bem mais tarde... que o digam os donos dos bares... nunca vi tanta gente na feira depois das 3 da manhã... caso para dizer que este ano a Ficavouga foi nocturna... ou direi madrugadora ?? Na minha sincera opinião, o Quim num sábado era pra rebentar tudo !!

Esta coisa da Fica deixa-me sempre com um pé atrás em relação a, pelo menos, 2 eventos... o 29 de Abril - atribuição do foral a Sever - e o 21 de Setembro - S. Mateus, feriado municipal.
Porque razão é que havemos de ter uma festa desta dimensão em Julho e não temos, sequer, uma comemoração digna desse nome na data de atribuição do foral ? (este ano andaram até ao fim para não fazer nada e depois lá foram desenrascar uma solução de último recurso e sem projecção nem luminosidade para comemorar os 491 anos de Sever como município). E o S. Mateus ? Será que este ano vai ser comemorado de uma forma tão simplista como é costume ? Ou vai a Câmara disponibilizar alguns (muitos) euros para ajudar à festa que é de todos (sim, porque o feriado é para todos). Ainda hoje os meus pais e avós se lembram daquela que era a maior festa do concelho e, direi mais, da região. Hoje, como termo de comparação, olhamos à nossa volta e vemos Vale de Cambra com as festas de Sto António (só para servir de exemplo).
Senhores do Executivo... já que gostam tanto de circular até às tantas - 4, 5 da manhã - não havendo capacidade (nem estômago) para as representações oficiais durante o dia, porque não fazer 3 festas grandes em Sever ? O foral é pra esquecer, mas o S.Mateus está aí à porta !! Este ano era um tal de captar votos... e depois não se queixe da má língua...

Cumprimentos

segunda-feira, julho 18, 2005

Laranjas, laranjotas e ... laranjinhas !

Chegou-me aos ouvidos recentemente que estaria a decorrer um processo contra desconhecidos no Tribunal de Sever movido pelo actual Presidente da Câmara, Dr. Manuel Soares. Ao que consta, este processo foi levantado após terem surgido na praça, uns tais de autos do Reino de Só Ver o Vouga, que foram postos a circular e estavam assinados por uns tais de "laranjinhas".

Ora, eu tive a oportunidade de ler esses ditos autos (para quem não leu, poderão visitar o seguinte link http://forum.sever-vouga.net/postlist.php?Cat=&Board=cmsever e procurá-los... devem estar todos) e na minha opinião honesta e sincera não vi nenhum indício que me levasse a pensar que haveria um qualquer tribunal - no mundo civilizado - que poderia sequer considerá-los válidos para dar início a um processo cível, uma vez que, de forma inequívoca, não estará subjacente nenhum crime só pelo simples facto de alguém ter posto no papel, bem à moda de um Gil Vicente desconhecido, uma sátira à situação actual de Sever, com personagens tiradas ao estilo de um Spitting Image (ou a versão portuguesa - Contra-informação), por forma a não ferir susceptibilidades nem atacar ninguém de uma forma directa.

Bem, como diz o povo - quem não se sente não é filho de boa gente - então há que mandar isto para tribunal, contra desconhecidos e fazer-nos a nós, pobres contribuintes, pagar por mais um acto que em nada beneficia a Justiça e, mais grave ainda, ocupa tempo aos (poucos) magistrados que há em Portugal e que terão crimes a sério para julgar...

Analisando os factos, gostaria de fazer algumas observações que não passarão de meras especulações sobre os porquês deste processo:

1. O Dr. Manuel Soares terá compreendido que, efectivamente, aqueles autos corresponderiam inteiramente à realidade e que a opinião pública iria - até certo ponto - acreditar que as características de personalidade do tal de El Rei D. Só Ares corresponderiam, de facto, às suas próprias características e, assim, e perdoem-me a expressão, enfiou o barrete e avançou para o processo-crime acima descrito;

2. O Tribunal de Sever, à falta de trabalho que aparenta ter (já ouvi falar em encerramento definitivo), levou em conta este processo e começou com as suas investigações centradas em meia-dúzia de "desconhecidos" que, ao que se ouve dizer, já terá feito constituir arguidos e, imagine-se, com termo de identidade e residência (lá se foram as férias). O trabalho de investigação realizado leva-me a supor algumas coisas como, por exemplo, os "desconhecidos" afinal eram conhecidos... A nível de exemplo, alguém colocou no rol dos "entrevistados" o Presidente da Juventude Socialista de Sever à altura e vá-se lá saber porquê, não chamarem o homólogo da JSD para depor (por acaso, na altura dos acontecimentos, o Presidente era eu) - o que faria todo o sentido porque os tais contos estavam assinados pelos "laranjinhas". Epá... vendo bem a coisa... o mais óbvio era que fossem pessoas da JSD, vulgo laranjinhas, que estariam por trás desses autos;

3. O timming deste processo é, por si só, fabuloso. Em alturas de apresentar listas para as eleições autárquicas - o limite é já o mês de Agosto - não me admirava nada que este processo transitasse em julgado ainda antes das férias judiciais e, a provarem-se culpados os arguidos, impedi-los de participar activamente na vida política autárquica. Óbviamente não quero acreditar que isto vá acontecer, até porque acredito que o MP vá arquivar este processo por falta de substância, isto é, porque ficará provado que a liberdade intelectual de que gozamos, fruto da nossa constituição, nos permite escrever e divulgar as nossas ideias, desde que as mesmas não atentem contra a liberdade dos indivíduos visados nem se assumam como ofensivas e/ou visem denegrir de uma forma explicita a sua imagem que, como já afirmei anteriormente, não me parece que seja o caso;

4. Não consigo perceber o silêncio do PSD em relação a este assunto... Então não era já de pôr a boca no trombone e denunciar este caso em tudo quanto era jornais e revistas ? Estão à espera de quê ? Para mim, este processo não passa de um caso de perseguição política à boa maneira dos sixties em que as pessoas não tinham a liberdade de ir contra o regime instalado !! Quanto mais tempo iremos ter que esperar até termos oposição a sério em Sever ??

Fico-me por aqui. Um abraço.

terça-feira, maio 10, 2005

A arte de complicar o que é simples

Olá,

Cá estou eu de novo.

1. Habemus Presidente...
Ao que parece, a JSD já tem Presidente. Acho, no entanto, que estas eleições deveriam ser anuladas e repetidas pela razão óbvia de que a lista que ganhou - única a ir a votos após um bem confuso processo eleitoral - não reuniu em urna, sequer, a soma dos votos dos integrantes da lista. Dos 39 eleitores válidos, apenas 8 votaram numa lista constituida por 11 (!!!). Isto significa 79% de abstenção.
Deveria pois, na minha opinião, haver uma regra estatutária que obrigasse a que este tipo de eleições fosse repetido incessantemente até se chegar a valores decentes de representatividade. Qual é a moral de um presidente que é eleito por uma minoria ? Qual a força representativa que ele pode exercer mesmo dentro do próprio partido ?

2. Candidatos procuram-se...
O PSD lá anda atarefado à procura de candidatos. Reunião secreta para aqui, jantar para ali, almoço para acolá... o que é certo é que não se vê fumo... e sem se ver fumo, não se tomam decisões... e o relógio... esse não pára ! O pior é que quando se lembrarem de abordar os possíveis candidatos, já eles, há muito, estão comprometidos com as listas do actual executivo. Desta vez é que eles vão expulsar malta das listas do partido !!!

3. Peixes...
Tanta celeuma com os peixinhos e afinal... não há novidades ? É que já passou um tempão !

Fico-me por aqui por agora... tenho que voltar à terrinha para saber novidades fresquinhas !

Cumps

quarta-feira, maio 04, 2005

Teoria da Conspiração !

Olá,

Hoje trago para o Blog um tema que deverá envergonhar todos os Severenses. Para quem trabalha fora de Sever, como é o meu caso, começa-se a habituar receber como saudação matinal, não o típico "bom dia", mas uma saudação especial, utilizando termos jocosos, fazendo alusão à última desventura do concelho.

Desta vez, perguntaram-me se era eu que andava a matar os peixes do rio...

Ora, uma piada de mau gosto destas - como tantas outras - leva-nos a desejar nunca ter dito a ninguém o nome da nossa terra natal. Aliás, obriga-nos a sentirmo-nos envergonhados, depois de tanta promoção feita às riquezas naturais do concelho e ao amor que temos da nossa terra.
Com vergonha lá vou dizendo que algo de anormal se terá passado e que estariam já no terreno a apurar as causas.

Para nós, severenses, infelizmente a notícia já não é nova.

Numa leitura do jornal Margens do Vouga (o quinzenário do nosso concelho), do dia 28 de Abril, deparo-me com este facto que, não sendo inédito, toma agora uma nova dimensão, principalmente porque não é suposto, nos dias que correm, este tipo de situações continuarem a acontecer. Ontem mesmo foi publicado no JN, jornal de tiragem nacional, a mesma notícia, mas com conteúdos um pouco diferentes, que acabaram por me levar a tomar a decisão de escrever este post com o título de Teoria da Conspiração...

Apesar de ainda estarmos a milhas de sabermos - se é que algum dia vamos saber - o que motivou esta mortandade, ambos os jornais aventam hipóteses causísticas claramente distintas.
O Margens do Vouga, publicado muito antes do JN, lança para a opinião pública uma hipótese que não é surpreendente e é do conhecimento de todos - a poluição será causada por descargas da ETAR.
O JN, por sua vez, avança com duas hipóteses - uma "virose" piscívora ou poluição provocada por descargas de - imagine-se - suiniculturas.

Embora escondida, Sever do Vouga possui uma ETAR. Construida há mais de 15 anos (não consigo precisar, embora tenha a certeza que é do tempo em que Sever andava no pelotão da frente), nunca sofreu obras de remonta e, sinceramente, nem sei se funciona. A verdade é que as pessoas de Sever - pelo menos as da vila - vêm-lhes cobrados no recibo da água os valores correspondentes ao saneamento básico, que compreendem, como é óbvio, a sua quota parte da rede (!) de saneamento existente no concelho e a referida estação de tratamento. É do conhecimento geral que esta ETAR está em situação de ruptura há anos - mais de 10 talvez - pelo que a hipótese colocada pelo Margens do Vouga, longe de ser tendenciosa, é a hipótese que, a meu ver, mais tenderá a ser validada.
A validação pode ser dada pelo JN, uma vez que noticia que as medições efectuadas no local apresentam níveis de amónia preocupantes e que, segundo o mesmo jornal citando o biólogo que está no terreno, "a libertação de amónia está relacionada com o trabalho de uma bactéria que, ao digerir material orgânico, liberta a substância". No entanto, o JN avança que a causadora é a suinicultura...

A outra hipótese - para mim a mais remota de todas - é o de haver um agente parasitário que ataca apenas - repito apenas - o barbo. Como morreram peixes de todas as espécies, tamanhos, cores e feitios, duvido muito que esta hipótese vá avante.

Há uns anos atrás aconteceu o mesmo. Apareceram peixes mortos, desta vez a montante da barragem. Na altura a culpa foi da Lacticoop e acabou sendo condenada pelo tribunal a uma multa de 10.000€. Apraz-me fazer uma reflexão. Afinal, sendo a ETAR, os porquinhos ou o leite, quem é que tem que ter a responsabilidade de fiscalizar ? Se se provar que é a ETAR que está a provocar os níveis de amónia e consequentemente a poluição, deverá este executivo ser julgado ? Eu penso que sim. Não por má gestão, não por irresponsabilidade, mas pela estagnação a que deixaram tudo em Sever e pelo desinteresse em querer uma terra mais próspera e mais amiga do ambiente !

Cumps.

terça-feira, abril 26, 2005

De volta !

Olá,

Cá estou eu de volta, 1 mês depois.
A minha vida profissional (atarefadíssima) quase não me deixa espaço para poder ter a seriedade e descanso mental para poder escrever os posts que tanta falta fazem.

Este fim-de-semana foi um poço de novidades ou, melhor dizendo, o confirmar daquilo que já era óbvio - pelo menos para algumas pessoas.

O PSD enviou-me uma carta a convidar para um Plenário de Secção com um ponto único - apresentação do candidato do PSD às eleições autárquicas.
Confesso que a missiva até me surpreendeu um pouco principalmente porque não deixava espaço para a necessária discussão do tema - pensei eu.
No entanto, quem lá esteve não deixou a coisa passar em claro e fez votar umas alterações à ordem de trabalho - aprovadas por unanimidade - não fosse alguém pensar que no PSD não se discutiriam os temas importantes.

Confesso que a minha vontade era de ter ficado até ao fim. Foi pena que alguns dos que lá estavam, preocuparam-se mais em saber se eu vinha dizer alguma coisa, do que em ouvir o que se estava a discutir na altura. Mas as coisas são mesmo assim. Tenho cada vez mais a sensação que as pessoas vão para lá já de "cabeça feita". Levam as suas ideias já pré-definidas e nem sequer se dão ao trabalho de escutar - sim porque metade da política é feita a escutar. É o saber ouvir que falta a maior parte dos políticos wanna-be que temos em Sever.

Contas feitas, está já assumida a candidatura do PSD a Sever do Vouga. Agora já há candidato para defrontar o Dr. Manuel Soares nas próximas autárquicas. Resta saber se vai haver equipa. Para quando, pergunto eu ?

Como análise, pergunto-me a mim mesmo de que vale apresentar um candidato, a 6 meses das eleições, ainda por cima tão pouco - ou nada - conhecido, sem ter já uma equipa formada ? Terá sido por falta de tempo ? Com a agravante de que o candidato que foi apresentado, já não ser novidade para ninguém. A coisa era tão óbvia há 4 anos como agora. Não se percebe o porquê desta apresentação tardia. Pergunto eu, Dr. João, porque não avançou logo como candidato ? Já pensou na quantidade de gente que o teria ajudado nestes 4 anos ? Já pensou na exposição pública que seria completamente diferente ? Já pensou que hoje, pelo menos poderia dizer que as pessoas já o conheceriam nem que fosse apenas como candidato ? Já pensou no trabalhão que vai dar agora dar-se a conhecer a toda a gente ?

Eu sabia - tal como qualquer pessoa minimamente atenta - que o candidato do lado do PS seria o Dr. Manuel Soares. Sabia-o há 4 anos, como o sabia no dia 7 de Março e o publiquei aqui. Da mesma forma, posso já avançar com o candidato para daqui a 4 anos - a menos que algo de grave aconteça ou alguma lei o impeça - será de novo o Dr. Manuel Soares (caso para dizer DUUUUHH !!). Se pensarmos bem, ele não sabe fazer mais nada senão ser Presidente de Câmara. Foi nisso que ele se especializou. As tácticas são sempre as mesmas e, o mais grave, resultam sempre - ele até se deve rir da inépcia do adversário em não perceber estas jogadas que parecem saídas de uma qualquer telenovela rasca.

Eu defendo, como sempre defendi, a discussão interna dos assuntos. Da mesma forma, defendo a abertura, cada vez maior, dos partidos políticos às pessoas. Por essa razão eu trago este assunto para a praça. Acho que deve ser discutido. Devemos todos aprender a bater com a cabeça na parede e saber quando se deve deixar de ser arrogante e pensarmos que só a nossa opinião é a correcta, para começar a saber escutar. Como já deixei escrito no Blog, não é minha intenção atacar ninguém - apenas dar a minha visão das coisas simples que alguns conseguem, tão bem, complicar !

Cumps.

quarta-feira, março 23, 2005

Força Juventude !

Boas,

Recebi hoje um mail do meu amigo de infância e companheiro de "guerra", Élio Figueiredo, que, confesso, me surpreendeu. Após alguns anos de ausência da vida política severense, aí está ele de novo - Comandante da Marinha Mercante - e cheio de vontade de fazer alguma coisa por Sever.

Pois é, andou este tempo todo a criar um projecto para a Juventude Severense. Agora quer pôr em prática esse projecto e precisa do apoio de todos nós. Quando me refiro a todos nós, não estou obviamente a falar para os jotaessedês... estou a falar de todos os jotas que ainda se preocupam com Sever.

Recordo-me há alguns anos, quando eu mesmo participava activamente na vida política de Juventude, que havia qualquer coisa de comum entre mim - presidente da JSD - e os presidentes das outras juventudes políticas. Todos tínhamos a vontade (e garanto que ainda temos) de tornar Sever num concelho mais pró-juventude. Das inúmeras conversas que tive - principalmente com o Luís - a questão fulcral era sempre o que podemos nós fazer por Sever. Como poderemos mudar Sever, quais os seus problemas estruturais, o que estava mal, o que estava bem, etc... etc... No final do dia (ou noite, como queiram) chegávamos sempre à mesma conclusão - havia muito a fazer e tão pouco apoio.

Este post serve para isso. Pedir apoio ! Não importa que sejamos laranjinhas, rosinhas (!!) ou esquerdinhas, altos ou baixos, gordos ou magros... de certeza que todos nós temos algo em comum - estamos cansados da falta de respeito que há pela Juventude de Sever e temos que fazer algo ! Cada dia que passa torna-se mais urgente a nossa afirmação como alternativa credível e inovadora no panorama político severense.

Vamos fazer ouvir a nossa voz !


Caro Élio, tens o meu apoio e o apoio de todos aqueles que queiram mudar alguma coisa em Sever !

Cumps

segunda-feira, março 21, 2005

Para desanuviar



Meus amigos,

Achei uns sites com fotos espetaculares da Cabreia...
http://www.thousandimages.com/autor.asp?idautor=048&p=5&t=1#portfolio
http://www.joaoquintela.com/template1.htm

Parabéns aos fotógrafos !

Cumps Posted by Hello

quinta-feira, março 17, 2005

Água (ou a falta dela)

8:35, a caminho do trabalho...
Tenho o rádio sintonizado na TSF e não acredito no que ouço... Sever do Vouga está entre um dos 11 concelhos com falta de água !! - Sever do Vouga ??
Chego ao trabalho e perguntam-me... Sever do Vouga não fica em zona montanhosa ? - Fica, respondo eu... -Então como é que é possível que haja falta de água ?? ...
Estas últimas reticências, reflectem a capacidade que eu tenho de responder a uma pergunta básica como esta... Como é possível haver falta de água num concelho que fica em zona montanhosa... Reticências... como quem diz... não faço ideia, parece absurdo, não parece ?

Esta é mais uma pergunta a colocar a quem de direito - o Executivo Camarário que está no poder há 16 anos... No post anterior, falava da necessidade que temos em fazer um julgamento a pensar no nosso estado actual. É certo que o podemos fazer, porque quem lá está são os mesmos que estavam há 16 anos... São eles os responsáveis por tudo o que aconteça de mau (e também de bom) ao nosso concelho... mais ninguém. Serão eles que terão que responder perante o povo de Sever a quem falta água nesta altura...

Ainda atónito, corro alguns dos jornais do país, disponíveis na net... e leio "O quarto distrito mais afectado é o de Aveiro, onde no concelho de Sever do Vouga, localidade de Pessegueiro do Vouga, cerca de 750 pessoas têm dificuldades relacionadas com falta de água." Isto faz-me pensar. Como será possível que em Pessegueiro maior parte da população não tem ainda acesso à rede pública de águas ? A verdade é que esta falta de água não se prende por escassez de recursos disponíveis, mas por uma política de abastecimento de águas completamente disparatada e ainda sem plano - só assim se explica a falta de água num concelho como o de Sever do Vouga !

Apesar de tudo, as gentes de Pessegueiro do Vouga continuam a votar em quem lá está. Estão-se pouco importando que a Câmara não lhes faça uma estrada decente de acesso ao centro, estão-se nas tintas se lhes falta a água, nem querem saber da falta de uma rede de saneamento na freguesia... querem é festa, a única coisinha em que a Câmara se especializou em dar nestes últimos 16 anos !

Eu fico triste. Não por mim, mas por aqueles que lá vivem e merecem um concelho melhor.

Cumps

segunda-feira, março 07, 2005

Autárquicas 2005 - Update

Olá,

Tal como prometido cá estou eu a trazer novidades...

Pelos vistos está tudo com medo de abrir a boca talvez com receio de estragar alguma coisa... como já vi este filme, a minha opinião é a de que, uma vez que já estamos tarde, mais valia abrir já o jogo. Continua-se a pensar nas autárquicas meio ano antes em vez de atacar o "problema" com pés e cabeça com bastante antecedência. No fundo, as autárquicas são como os campeonatos de futebol - no final ganha quem é mais regular e, nesse campo, o actual Executivo bate qualquer um - a regularidade com que ele faz o pouco que faz é muito superior à regularidade com que a oposição faz alguma coisa.

Nesta altura, certo certo, é a recandidatura do Dr. Manuel Soares, embora haja quem diga que há um tal dum requerimento qualquer pendente por causa do Cartório de Vale de Cambra - entregue ao Dr. Soares - e que poderia por em causa uma eventual recandidatura. Sinceramente acho que é tudo uma manobrazinha políica, a exemplo das que aconteceram no passado em que os dirigentes da oposição caem sempre que nem patos...

Do outro lado, da oposição, os candidatos a candidatos vão-se perfilando...

Do lado dos comunas, prevê-se que seja o mesmo - ou seja, alguém com verdadeiras aspirações a chegar... a lado nenhum - todo o trabalho que eles têm é para ajudar o actual executivo a ficar lá mais 4 anos... nem deputados na Assembleia conseguem eleger e só concorreram a 4 juntas nas últimas...

O PP é uma incógnita... com o desastre que temos vindo a assistir há já alguns tempos, o mais provável é que nem apresentem ninguém. Ou que, na inépcia usual dos seus dirigentes, apoiem o candidato que surgir do lado do PSD... seria de louvar se o fizessem apenas com o intuito de mudar alguma coisa e não com a vontade de arranjar tachos ou panelas...

O PSD severense já começa a ser o "case study" dos processos eleitorais autárquicos do país... O que lhes vale este ano é que o PSD nacional obrigou as concelhias a apresentarem os candidatos até ao final de Abril... com a capacidade de visão e antecipação que já vem a ser hábito, havemos de chegar a essa data ainda sem saber nada dos candidatos deste partido. Depois, no dia de entrega de listas, lá vem a mudança habitual dos candidatos para cima e para baixo (e para fora) até se chegar a alguma conclusão...
A desculpa que me deram foi que a "coisa" estaria atrasada por causa das eleições legislativas que tivémos no mês passado... como se elas influenciassem de alguma forma o poder local ! Um conselho que eu dou... a coerência é a alma do negócio. Não se pode dizer que um ano antes das eleições já se saberia quem eram os candidatos e depois, na hora de os apresentar, recua-se por causa de um suposto timming que tem que ser cuprido encomendado por instâncias superiores - nada de confusões !!

Meus amigos, nesta altura penso que o mais importante era pensar e arquitecturar uma mudança. Uma verdadeira mudança. Mudança de políticas, de vontades, de prespectivas... mas mais importante, mudança de atitudes ! Mudar a atitude com que os severenses têm olhado para o futuro !
As escolhas que foram feitas no passado, estão hoje reflectidas nas caras de quem mora, trabalha e vive em Sever. Nos números do crescimento, do emprego, da saúde e da qualidade de vida dos severenses.
Nestas eleições devemos reflectir sobre isso mesmo... não vamos julgar quem lá esteve pelo que fez nos últimos 4 anos, porque só daqui a uns 10 anos é que se verá o reflexo das suas políticas. Vamos, em vez disso, julgar o nosso bem-estar actual, olhar à nossa volta, comparar-nos com os nossos vizinhos e perceber... que há 16 anos atrás, eram eles que olhavam para nós com inveja !

Cumps.

sexta-feira, março 04, 2005

Autárquicas 2005

Olá de novo,

Este fim-de-semana vou a Sever.

Conto trazer novidades fresquinhas sobre as próximas Autárquicas.
Confesso que já ouvi uns rumores, mas preciso de ter mais confirmações.

Cumps

domingo, fevereiro 27, 2005

Análise - Legislativas 2005 - Parte II

Parte II - Os resultados no distrito, no concelho e comparativos 2002/2005

O distrito de Aveiro foi inequivocamente ganho pelo Partido Socialista. Dos 15 mandatos disponíveis, o PS arrecadou 8, seguido pelo PSD com 6 e, finalmente, o PP a eleger o seu deputado e presidente do partido. Ou seja, feitas as contas, o resultado foi, no mínimo, desastroso para as cores da coligação que formou Governo. Se, em 2002, o PSD e o PP elegeram juntos 10 deputados, vêm nestas eleições 3 lugares a fugirem para o PS, com o PSD a perder 2 e o PP, 1.

Sever do Vouga fez parte dos 9 municípios onde o PSD venceu, registando a 4ª melhor performance com 48,77%. À sua frente só ficaram Vagos (62%), Murtosa (56%) e Oliveira do Bairro (53%). Os restantes concelhos onde o PSD ganhou foram Albergaria-a-Velha, Anadia, Arouca, Estarreja e Ílhavo. Nos 10 restantes municipios do distrito, o PS ganhou.

Analisando os dados de Sever, o PSD com 3.865 votos, perde 586 em comparação com o último escrutínio, mas, curiosamente, fica 111 votos acima das eleições de 99 que dariam o segundo mandato a António Guterres. Nessa altura, o PS obteve 1.929 votos, perdendo 274 votos para as eleições seguintes e registando, este ano, um incremento de 460 votos saindo destas eleições com uns recordistas 2.115 votos nunca vistos até então numas eleições Legislativas.

Um dado que se tornou evidente foi o gigantesco aumento no número de votos nos partidos que não estão ao centro: o Bloco de Esquerda vê a sua votação triplicar de 92 votos em 2002 para uns expressivos 280 votos em 2005. Os comunistas aumentam também de 93 votos para 155, e - vá-se lá imaginar porquê - o PCTP/MRPP registou nestas eleições, 40 (!!!!) votos, duplicando o número de eleitores em relação a 2002. No outro lado do espectro político surge o PNR - partido de direita que é frequentemente associado ao Nacionalismo - ganhando 14 novos eleitores neste concelho. No total, os "radicais" conseguem nestas eleições um numero sem precedente de votos - 489 votos, contra os 204 votos em 2002.

Resta apenas mais um dado - o CDS/PP está cada vez mais fraco, evoluindo negativamente desde os 1.545 votos em 1999, 1.399 em 2002 e 1.145 em 2005, perdendo cada vez mais eleitorado para outras forças políticas.

Cumprimentos.

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

Análise - Legislativas 2005 - Parte I

Parte I - A triste crueldade dos números

O distrito de Aveiro evoluiu positivamente nestes últimos 3 anos com uma taxa de crescimento de 1,77%, bem melhor que a taxa de crescimento nacional que rondou os 0,8%.


Baseado nos números da ultima votação, a análise comparativa entre os 19 concelhos leva-nos a perceber que Arouca, Castelo de Paiva e... Sever do Vouga, foram os únicos concelhos em que se notou uma taxa de crescimento negativa, ou seja, cada vez têm menos eleitores. A análise torna-se ainda mais negra se tivermos em conta a relação legislativas 1999/2005, que coloca o concelho de Sever do Vouga num muito pouco honroso último lugar com uma taxa de crescimento negativa de -1,46%, representando um decréscimo de 170 eleitores.


Estes números levam-me a fazer uma observação lógica - quanto menos eleitores tiver um concelho, menos poder - logo importância - tem esse concelho para o cenário regional e, consequentemente, nacional. Uma vez que tudo é baseado neste dado - nº de eleitores - desde o salário do Presidente da Câmara ao nº de pessoas que dependem directamente do estado e que estejam a trabalhar nesse concelho - não me seria de espantar que, a este ritmo, freguesias como Dornelas (-3,57%) deixem de o poder ser... mas enfim... serão contas para outras "guerras". (Não tarda nada alguns Presidentes de Junta ficam sem emprego...).


O decréscimo do numero de eleitores é o reflexo do próprio estado natural das coisas em Sever. Após os vergonhosos numeros do Censos em 2001, com o concelho a registar a pior taxa demográfica em todo o distrito - uns bem negativos 4,6% - (com números alarmantes por idades que revelam quebras de 28,5% e 15,8% nos grupos etários 0-14 e 15-24 respectivamente), acrescido do facto de que há uma percentagem grande de pessoas - especialmente jovens - que não trabalham e não residem em Sever, mas que conservam o seu voto lá, é de esperar que a situação se agrave ainda mais para os próximos desafios eleitorais, uma vez que é claro que irá morrer muito mais gente do que aquela que se irá recensear. O futuro é muito negro para Sever do Vouga.


Para concluir, fica a pergunta - iremos ser capazes de dar a volta à situação no futuro ? Está mais que provado que a actual política não nos leva a lado nenhum... e não venham dizer que não tiveram tempo !


Um abraço

Fontes: http://www.legislativas.mj.pt/ e www.ine.pt

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Legislativas 2005

Olá,

Os resultados em Sever do Vouga das eleições Legislativas 2005:

http://www.legislativas.mj.pt/legislativas2005/CP/D01/C17.html

A análise fica para mais tarde.

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Bem Vindo !

Olá,

Estamos em plena campanha eleitoral para eleger o futuro Executivo que irá governar este país pelos próximos (espera-se) 4 anos.

Esta é uma altura de reflexão que, convenhamos, deverá ser séria e ponderada. Deveremos ser capazes de avaliar os prós e os contras que cada Partido Político nos apresenta como garante de desenvolvimento, solidariedade e, sobretudo, estabilidade para este Portugal "à beira-mar plantado".

Após estas eleições de 20 Fevereiro próximo, somos, de novo, levados para mais uma correria eleitoral - desta vez a nível local - marcada lá para Outubro, mas que se revela especialmente importante e decisiva para a nossa vila de Sever do Vouga.

Será então altura de avaliar o "estado do concelho". É a isto que me proponho com este blog.

Vamos por mãos à obra.

Saudações