domingo, janeiro 22, 2006

O Homem do Leme is back !

Caros amigos,

Sozinho na noite
Um barco ruma, para onde vai.
Uma luz no escuro
Brilha a direito, ofusca as demais.

E mais que uma onda, mais que uma maré...
Tentaram prendê-lo impor-lhe uma fé...
Mas, vogando à vontade, rompendo a saudade
Vai quem já nada teme, vai o homem do leme...


CAVACO SILVA - 75,83%
6136

MANUEL ALEGRE - 13,66%
1105

MÁRIO SOARES - 5,88%
476

FRANCISCO LOUÇÃ - 2,45%
198

JERÓNIMO SOUSA - 1,90%
154

GARCIA PEREIRA - 0,28%
23
Fonte: STAPE - http://www.presidenciais.mj.pt/html/ISD01C17.html

Os dinossáurios da política começam a entrar em extinção no país... e tu Sever ? Quando arrumas tu com os teus ?

Cumprimentos.

terça-feira, janeiro 10, 2006

Não lembra ao diabo !!

Olá,

Aproveitei este ambiente criado pelas eleições Presidenciais para fazer um update ao meu blog.
Sever do Vouga fechou o ano passado com um facto político que tem tudo para ser, ao mesmo tempo, curioso e ridículo.

A primeira Assembleia Municipal, após as últimas eleições Autárquicas em Outubro, acabou ao mesmo tempo que começou...

Segundo o jornal Margens do Vouga - única fonte de notícias da "terrinha" - o caso ocorreu devido ao facto de um dos deputados da dita - Francisco Veloso - não ter sido convocado convenientemente e de não ter recebido a documentação suporte, necessária à adequada preparação para a Assembleia.

Em Outubro, aquando das eleições, comentei a situação deste deputado único, eleito pelo CDS-PP, que, à semelhança dos seus pares de lista, não fazia vida em Sever e que, julgava eu, nem sequer iria pôr os seus lindo pés em nenhuma Assembleia Municipal mas afinal estava enganado!! Este deputado não só veio às reuniões da Assembleia, como até já provoca situações embaraçosas para o "povinho da província", habituado à calmaria do deixa-andar e da ingenuidade.

Mas quem julga que o caso ficou por aqui, engane-se. A coisa piorou. O Presidente da Assembleia Municipal ficou atarantado com o sucedido, adiando assim, a Assembleia para Janeiro. Entretanto, tal e qual salvador da pátria, o sempre-poderoso Soares, achando que estava a fazer uma grande coisa, lá foi adiantando ao dito deputado que aquilo era prática corrente... Às vezes os deputados nem convocados eram e apareciam na mesma...

Face a esta situação, há alguns comentários que julgo dever tecer.

Há muito que venho pedindo a todos os políticos severenses, com quem troco ideias, para começarem a ser menos rurais (achei a expressão "provincianos" demasiado urbana), e encararem a política como uma dádiva, considerando os mandatos que o povo lhes atribui, como votos de confiança, e que os usem em benefício desse mesmo povo - sempre com o objectivo fundamental de desenvolver de forma responsável a terra onde vivem e trabalham. Os políticos severenses têm a mania de que o "lugar" na Câmara, na Assembleia ou nas Juntas lhes dá o poder de poderem fazer o que quiserem sem dar cavaco a ninguém... No entanto, se assim for, nunca sairão da cepa torta... e andamos nisto há 20 anos!! É urgente planear a médio e a longo prazo o futuro da nossa terra... sob pena de vivermos num ostracismo tal que seremos, com toda a certeza, remetidos para o esquecimento...

Espero, sinceramente, que este novo severense, adoptado, traga algo de bom para a nossa terra. Que não siga a política do deixa andar e que não se intimide em apelidar de provincianos os seus pares, obrigando-os a seguir rumos mais acertados. Tomara eu (e muitos como eu) ter tido essa oportunidade que nos foi vedada pela estrutura partidária de que fazemos parte, e da qual somos, pura e simplesmente, riscados do mapa político, por termos ideias demasiado revolucionárias para a intelectualidade de quem manda. Eu, e os muitos como eu, acabamos por ofertar o nosso intelecto político, aos concelhos vizinhos, ajudando-os no seu desenvolvimento... paciência!

Para terminar, regozijo-me por este caso ter surgido. Ao que parece, o orçamento iria ser votado e o partido que sustenta o Executivo não tinha o número de deputados suficientes para o aprovar. Assumindo que não há irresponsabilidade de quem não marcou presença, o PS estaria em maus lençóis, pois veria a planificação anual reduzida a duodécimos, apesar de eu achar que não iria afectar em nada a evolução de Sever, a avaliar pelo que tem sido feito nos últimos 16 anos. Todavia, este sistema poderia acarretar problemas na contratação de mais pessoal para a Câmara... e não íamos querer isso... pois não?

Cumprimentos