quarta-feira, abril 19, 2006

Eu avisei...

IPE Brent Crude Oil Price - 18/04/2006 - USD $72,40
http://www.oilnergy.com/index.htm

terça-feira, abril 18, 2006

O Exercício Económico de 2005 e o sapo engolido...

Olá,

Estive a ler a acta da reunião camarária do último dia 27 de Março. Nessa reunião foram apresentados, entre outros assuntos, o documento de prestação de contas relativas ao exercício económico de 2005, estando presentes o Presidente da Câmara, os 3 vereadores eleitos pelo PS e os 3 vereadores eleitos pelo PSD, não havendo, assim, faltas a registar.

O Exercício Económico...

Ao dar uma vista de olhos pelo documento reparo que, no ponto 2 das intervenções na discussão das contas é referido que "a massa salarial representa 49% da despesa corrente". Quer isto dizer que a Câmara Municipal utiliza 49% do orçamento para pagar aos funcionários... Quer isto também dizer que o que se gasta em Educação, no Desporto e na Cultura (estou apenas a referir-me aos exemplos dados pelo Presidente da Câmara) é equivalente ao que os funcionários da Câmara levam para casa todos os meses... Quer isto dizer que os apoios dados a todas as Juntas de Freguesia, Associações, Escolas, equipamentos vários (piscina, pavilhão, etc), etc, usufruto dos 12.940 munícipes (dados de 2004) de todo o concelho de Sever, reduzem-se à insignificância de serem equivalentes ao que os cento e poucos empregados da câmara recebem, ano após ano...

Com muita lata e falta de educação, o Presidente da Câmara pergunta se a oposição estará interessada em acabar com os apoios...

Na falta de resposta capaz (pelo menos registada em acta) por parte dos vereadores da oposição, respondo eu: caro Presidente, o que nós munícipes queremos, é que as nossas ruas estejam limpas (a estrada que passa em casa dos meus pais tem erva com meio metro a crescer por entre o lancil e o alcatrão!!!) e hajam caixotes do lixo; que as escolas não tenham que esperar ad aeternum por obras de conservação; que não chova dentro do pavilhão e os balneáreos sejam mais dignos; que os parques estejam limpos e acessíveis; que os funcionários da Câmara sejam dignos de desempenharem as suas funções e não sejam conhecidos por serem os maiores frequentadores dos cafés, tascas e pastelarias a qualquer hora do dia, como se o café da manhã não tivesse fim ou o trabalho não fosse muito; que esses mesmos funcionários tratem com respeito e elevação qualquer munícipe que se dirija aos serviços e sejam eficientes a executarem as suas tarefas...

Meu caro presidente, o que pedimos não é muito... apenas que os funcionários demonstrem que merecem metade do investimento corrente feito no nosso município, nada mais!!

E o Sapo anunciado...

No final da apreciação deste documento e após aceso debate entre o Executivo e a Oposição, ficou claro na votação que algumas das apostas feitas pelo PSD nas autárquicas foram tremendamente erradas. Um dos seus vereadores - o do costume, aliás - absteve-se. Isto demonstra a completa incapacidade de liderança e rumo da "bancada" social-democrata eleita. Já que o partido quer expulsar aqueles que foram a eleições por discordarem das opções estratégicas das concelhias, talvez fosse altura de pensarem em tomar uma atitude perante os eleitos que se opõem à estratégia nos municípios... porque esses têm um papel fundamental na vida do município.

Este é só mais um dos inúmeros sapos que a concelhia do PSD vai engolir. Os avisos foram feitos na altura certa... mas houve quem preferisse a incerteza à certeza e a independência à dedicação...

Um abraço

quinta-feira, abril 13, 2006

Email aberto ao Pacheco Pereira...

Caro Pacheco Pereira,

Uma vez que sou em partes iguais crítico e admirador do seu trabalho e das suas opções políticas, uso este mail para lhe propor uma discussão publica à volta da seguinte questão...

Quem é responsável no Governo pelos cálculos para inclusão no Orçamento de Estado dos preços médios do barril de petróleo ?

Como extremamente céptico na eficiência do aparelho de estado - a começar nos políticos que o representam (claro que há (muito raras) excepções) - desconfio que quem prepara os orçamentos de estado desconhece a realidade financeira e especulativa em torno das questões básicas e essenciais que são o garante da sociedade ocidental, tal como a conhecemos.

Falo, obviamente, do poder do capital e da relação básica económica entre a oferta e a procura. Será que esses orçamentistas se esqueceram, repentinamente, do básico?

Hoje de madrugada vi, em repetição, a Quadratura e ouvi o Jorge Coelho a referir-se ao preço do petróleo usado nas previsões orçamentais como sendo "uma previsão média de preços"... O Lobo Xavier referiu-se à especulação criada à volta do preço, que representaria "uma fatia importante no preço"... a especulação representa exactamente isso - a antecipação da evolução do preço do Petróleo...

Apesar de eu já ter trabalhado no mercado financeiro - 2 anos na Fincor - não tenho nenhum curso dito superior, no entanto estou a terminar o meu curso em Engenharia Industrial. Contudo, não sou nem Gestor (de canudo) nem Economista, mas uma coisa é certa... ao contrário dos nossos orçamentistas, eu uso o cérebro para pensar.

A dedução é muito simples e lógica: numa economia global e de mercado, onde há um país - a China - que em 5 anos passa de consumidor médio para o maior consumidor a larga distância do que vai em 2º e em que o crescimento está, supostamente, bloqueado a 7%, porque não há interesse que cresça muito mais, vai forçar, pelo menos, que o crescimento do consumo continue...

Como o Output do petróleo é já, desde há muito, diminuto comparado com as necessidades (provavelmente haverá países que não crescem mais, anualmente, porque não têm acesso a mais petróleo) a relação entre a oferta e a procura vai continuar desiquilibrada durante muito tempo... e com tendência a que os preços aumentem!!!

Só isto era suficiente para desiquilibrar a balança para preços absurdos... mas há mais... a somar a este crecimento exponencial chinês, há os problemas na Nigéria, a questão do Irão e do Médio Oriente, a instabilidade em maior parte dos países da Federação Russa (principalmente aqueles onde passam oleodutos)... a incerteza do estado das condições atmosféricas que afectam, em muito, o output no golfo da Califórnia,... etc etc etc...

Se isto não bastasse para provar a incapacidade/ignorância (para não usar um termo mais forte) dos orçamentistas, eles poderiam, pelo menos, aconselharem-se junto de uma qualquer instituição financeira internacional - muitas delas gerem orçamentos de investimento superiores ao orçamento nacional - ao que a maior parte diria sem reservas que o preço médio adoptado por Portugal para o Orçamento (USD $65.60) estaria na fasquia mais baixa dos preços a que o Petróleo irá cotar-se este ano.

Finalmente, a previsão de um desses bancos coloca o petroleo nos USD $150 ainda este ano. Este banco está acima de qualquer suspeita e é um dos mais conceituados bancos de investimento mundiais. Em anexo envio-lhe o Outlook 2005 - para poder verificar, se quiser, quantas previsões eles acertaram no ano passado (nota especial para o preço do petróleo)... vai ficar surpreendido.

Para concluir... não querendo acreditar que os orçamentistas são tão maus como eu os pinto, é sinal, então, que o PS se prepara para, no final do ano, dar a desculpa que foram os preços do petróleo que deram cabo do orçamento... quando já sabiam no que se estavam a meter no início do ano...

Como pessoa preocupada com o dia-a-dia de Portugal e da minha terra, sendo PSD desde que me lembro - no entanto afastado compulsivamente da política activa pela máquina partidária (daria para outro mail) - debruço-me sobre estas questões regularmente. Como acho que esta do petróleo é demasiado importante - ate porque o erro é grosseiro - decidi escrever-lhe, uma vez que o vejo como uma espécie de Procurador do PSD... onde cidadãos comuns, que não pertencem à alta esfera do partido, podem expor as suas ideias, sabendo que o Pacheco Pereira lhe dará a devida atenção.

Com os melhores cumprimentos,
Paulo César Martins

Fontes: www.infobolsa.es/v2002/Contenidos/DicenExp_Tecnico/Saxobank/ficha-saxobank.asp e http://www.forexproject.com/files/SaxoBankOutlook2006.pdf

domingo, abril 02, 2006

A assinatura incómoda...

Olá,

Tenho o jornal Margens do Vouga (ed. 32) à minha frente e quase não acredito no que leio. Na página 2, em jeito de nota da redação, o jornal teve que vir à praça pública sustentar com prova uma notícia, escrita duas edições antes, de que o Vereador António Coutinho teria feito uma reprimenda bastante grande aos funcionários da Câmara (nomeadamente almeidas, trolhas, pedreiros, etc...) e que isso teria ficado escrito num documento com o título "Reunião com o Sr. Leça.

A polémica, desta vez, prende-se com o facto de o vereador citado presumivelmente andar a dizer na rua que o que o jornal escreveu era mentira - o jornal, e muito bem, publicou o documento para provar a verdade.

Esta situação demonstra um exemplo típico do que sempre se passou em Sever. Um jornal - independentemente de ser faccioso, ou não - publica uma notícia verdadeira, baseada no princípio jornalistico de informação retirada de fontes credíveis e é logo acusado de mentira pelo alvo dessa mesma notícia.

A maior chatisse é que o vereador teve azar. Não teria tido azar se não tivesse assinado o documento... mas a verdade é que a inimitável assinatura dele está lá... agora das duas, uma... ou o vereador assina de cruz e alguém lhe meteu este documento no meio da papelada, ou o homem está a tentar fugir à responsabilidade daquilo que defende no documento.

Deste episódio ridículo tiramos duas importantes ilações. A primeira é a de que talvez este azar sirva de lição ao Vereador Coutinho e para a próxima ele não assine documentos pelos quais não se queira responsabilizar, a segunda é a de que os severenses têm a prova de que quem decide os desígnios da sua terra não é sério nem merece credibilidade e, mais grave, mente descaradamente.

Cumprimentos