quarta-feira, janeiro 02, 2008

Feliz Ano Novo!

Olá,

Este é o primeiro post do ano de 2008 que, espero, venha a ser profícuo em novidades da política severense.

O Beira-Vouga não poderia ter escolhido melhor capa para acabar o ano de 2007. Aqui estão alguns dos rostos, eleitos democraticamente, e que estarão disponíveis para encontrar soluções de mudança para o Concelho, que tanto precisa.

Aproveito este post para dar o meu apoio solidário ao Editor do Beira Vouga, Lino Vinhal. O editorial do dia 4 de Junho de 2007, confesso, arrepiou-me. O título é "Resistir é a palavra de ordem" - estranhamente não sei o que pensar dele (do título) - imediatamente veio-me à cabeça a possibilidade de o Beira Vouga estar perto da extinção e, aí, assustei-me. Após leitura do texto, verifico o cuidado que o editor teve na escrita - a minha vénia merecida - conseguindo dar uma imagem profundamente diferente daquilo que eu tinha em mente acerca do editor deste jornal regional. Ao mesmo tempo, fico com a impressão que ele não disse tudo. Nota-se nas entrelinhas que existem algumas feridas por curar de alguns embates antigos e quiçá, algum cansaço de tantos pedidos de apoio acumulados ao longo dos 46 anos de história.

Sinceramente, nunca fui muito a favor de peditórios. Acho que só o simples facto de o editor de um jornal único como é o Beira Vouga ter que pedir para poder continuar a dar o que melhor sabe - as notícias da região - incomoda-me. Pergunto-me eu porque é que isto tem que acontecer? Quem é que ganha com este tipo de dificuldades? Será que este editorial foi alguma promessa para poder receber apoios? Nem quero pensar, sequer, nessa possibilidade, mas acho que só ganha com este tipo de coisas quem está no poder, isto é, quem impede que se melhore a vida destas instituições que, apesar de privadas, efectuam um inegável serviço público.

Deixo aqui o link para que possam desfrutar do editorial da mesma forma que eu.

Preparei, também, um abaixo-assinado que visa o reforço do um aumento de apoio institucional ao Beira Vouga que, se tudo correr bem, farei por apresentar nas instâncias devidas, num futuro que se pretende breve. Conto com a participação de todos e irei tentar divulgá-lo por e-mail. Tomei a liberdade de citar parte do editorial de Lino Vinhal. A todos peço que reenviem para que a onda de choque seja generalizada e se faça, efectivamente, alguma coisa pelo jornal que, apesar de tudo, é de todos nós!

Um grande abraço e votos de um excelente ano de 2008.

Sem comentários: